Fantasia,  Livros,  Resenha,  Romance,  Sarah J. Mass

Resenha Corte de Espinhos e Rosas

Sempre ouvi falar de um tal de ACORTAR, via reels, postagens de blogs e IGs de literatura comentando sobre essa série e sempre ficava sem entender nada. Então, aproveitando uma promoção da Amazon de e-book comprei os três primeiros livros que faziam a primeira trilogia dessa série. Enfim consegui ler e vim trazer a renha do primeiro livro, Corte de Espinhos e Rosas.

O livro conta a história de um mundo onde por muitos anos os humanos eram escravos dos feéricos, seres, imortais e muito poderosos, quase deuses. Contudo, os humanos resolvem se rebelar e travaram uma violenta guerra. Querendo acabar com carnificina foi feito um tratado de paz. Assim uma muralha mágica foi erguida para separar as espécies.

Cinco séculos depois…

Feyre é a filha mais nova de um mercador que faliu. Após uma promessa, no leito de morte de sua mãe, de que faria tudo para proteger e salvar sua família, ela aprende a caçar e sempre se arrisca para que suas duas irmãs e seu pai tenham o que comer. Com o inverno avançado, ela precisa arranjar comida e mais uma vez está escondida na floresta em busca de algum animal. Quando estava prestes a conseguir a refeição, um grande lobo entra em seu caminho. Apesar de não se parecer como um lobo comum, sem hesitar ela o mata com uma de suas flechas.

Contudo, esse pequeno ato muda toda sua vida. Uma criatura enorme exige uma reparação pela morte de seu amigo. Ela terá que ir viver com ele uma terra que só ouviu falar em lendas, a terra dos feéricos. Sem escolhas ela acompanha a fera, que mais tarde se mostra como o Grão-Senhor da Corte Primaveril, Tamlin. Um homem lindo e cheio de mistérios e segredos.

Com o passar do tempo ela se sente cada vez mais atraída por Tamlin, o que antes era quase um ódio se torna uma grande paixão. Porém, esse amor será posto a prova pelo grande mal que reina nas terras feéricas. O destino de Tamlin e todo seu povo fica nas mãos de Feyre.

O que eu achei…

Inicialmente não é um livro que me viciou, não era algo que eu não conseguisse para de ler, mas me deixava interessada o suficiente para não desistir da história. Com o passar das páginas fui começando a gostar de ver Feyre se descobrindo, muito mais além do que apenas alguém que iria sustentar sua família, ver ela conhecendo esse novo mundo e se apaixonando por Tamlin. Gostei mais ainda com a reviravolta da história, onde começa a ter mais ação e finalmente Feyre começa a reagir mais e lutar pelo que acredita. Apesar de não ser muito fã de romances com triângulo amorosos até o interesse do sombrio Rhys por Feyre eu gostei e comecei a achar que talvez goste mais dele que de Tamlin.

Eu fiquei simplesmente apaixonada por toda a história desse livro, apesar de ele não ser tão interessante em algumas partes ele mostra um mundo cheio de potencial para crescer. Enquanto eu escrevo essa resenha já li toda a trilogia, mas estou me segurando para escrever o que eu realmente senti e achei lendo apenas esse primeiro livro. Já digo esse não é nem de perto o meu favorito e tem muito mais coisa para acontecer e mudar. A minha maior pergunta é porque eu demorei tanto para conhecer esses livros?

E você, querido leitor e querida leitora, já conhecem essa série de livros?

bjs e abraços,

Ana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.