Livros / Meus textos

Minha 1ª vez: Conhecendo uma escritora

Olá, leitores, tudo bem?

Como já perceberam eu sou apaixonada pela Julia Quinn, não apenas pela família Bridgerton (quem ainda não viu as resenhas dessa família só clicar aqui), mas por todos os romances de época dela que já consegui pôr as mãos. Como muitos viciados em livros um dos nossos maiores sonhos é conhecer a pessoa que está por trás dos livros, quem foi mente brilhante que escreveu aquela obra prima. Bem, eu tive a honra e o prazer de conhecer, Julia Quinn. Quem diria que uma simples garota brasileira iria conhecer uma de suas escritoras favoritas? E também a primeira vez, e até hoje única vez, que tive essa oportunidade de conhecer de pertinho uma escritora ou escritor. Então hoje, entrando no clima de TBT, vou trazer um pequeno relato de como foi conhecer essa mulher incrível. 

Em 2017, a escritora fez uma turnê pelo Brasil para o lançamento da série “ Quarteto Smythe-Smith”, onde ela passou em diversas capitais não apenas divulgando o lançamento como fazendo uma sessão de autógrafos.  Por acaso uma amiga me marcou no evento, e eu ainda nem estava sabendo que ela viria aqui em Brasília. Em um primeiro momento surtei, mas logo me desanimei porque estavam surgindo diferentes complicações para conseguir ir. Com o passar dos dias, foi chegando mais perto do dia da sessão de autógrafos, e percebi que seria uma oportunidade única e imperdível. Custasse o  que custasse eu precisava ir nesse lançamento, como não queria ir sozinha, chamei minha fiel companheira de aventura e loucuras Mariana. O único problema era que teríamos que chegar no shopping onde ocorreria a sessão de autógrafos às 10 horas para conseguir pegar a senha (e não perder a chance e ficar de fora) e a sessão de autógrafos só começaria às 19. Como ficamos com medo de dar qualquer problema (eu sou muito neurótica com isso) resolvemos passar logo o dia todo por lá e quando estivesse  mais perto iríamos para fila pra ficar num lugar na frente.

O dia no shopping foi legal, andamos na loja, tiramos várias fotos na Tok&Stok, sonhando com o dia que compraríamos os nosso móveis para nossa casa dos sonhos.

 Quando não tínhamos mais nada para fazer resolvemos voltar para a livraria, porém não contávamos que às 14 horas já teria uma fila (sério que desespero para ser a primeira é esse?) E aí começou a etapa acampamento, a cada minuto aparecia mais gente para ficar na fila, quando consegui comprar os livros do quarteto e fomos para fila já tinham 20 pessoas na nossa frente. Não sei se fiquei mais surpresa por tanta gente  aquela hora no shopping ou porque chegamos muito cedo e nem ficamos no início da fila.

 

Depois disso passamos 4 horas sentadas na fila, batendo papo se revezando para andar (porque ninguém aguenta ficar sentada 4 horas e não ficar com a bunda quadrada). Depois de muitas horas (a hora não passava não importa o que a gente fazia) finalmente o momento tão esperado chegou. No primeiro instante eu não reconheci Julia Quinn, nunca tinha visto ela pessoalmente, mas assim que vi ela meu coração acelerou e eu simplesmente perdi a fala. Fiquei mais atrapalhada do que meu normal, derrubava tudo que estava na mão, e quanto mais a fila andou para perto dela mais eu entrava em um estado de felicidade e nervosismo. Faltando duas pessoas na nossa frente eu não consegui falar nem meu nome se perguntasse (sorte que eles tinham entregado um papel para colocar o nome para ela poder autografar).

Quando nossa vez chegou eu agi no modo automático, fiquei olhando para ela tentando pensar em algo para falar, mas nem em português estava conseguindo pensar, quem diria inglês que eu mal sei falar… kkk. Tiramos fotos e tal e no fim ela olhou para mim e disse: Thanks! Obrigada! E eu fiquei lá com uma cara de boba olhando para ela, depois simplesmente me virei peguei os livros e fui embora. Nunca fiquei tão sem fala na minha vida.

Depois que passou pensei em todas as coisas que podia ter falado, como: minha eterna admiração por ela. Que os livros dela são a melhor companhia para todos os momento da minha vida, ou apenas sou louca pelos seu livros, obrigada por compartilhar suas histórias com todos. Mas infelizmente tudo isso ficará para a próxima vez (se isso acontecer).

Já faz um pouco mais de dois anos que isso aconteceu, mas lembro como se fosse ontem cada minuto desse dia. Mesmo não conseguindo falar nada para ela no momento eu tive mais uma certeza que alguns sonhos podem se tornar realidade quando menos se espera. Me disseram que conhecer um escritor de fora era impossível, mas como diz Lewis Carroll em Alice no País das Maravilhas: “ A única forma de chegar ao impossível, é acreditar que é possível.”

Então aqui estou eu quase 3 anos depois falando de um sonho que me disseram que era impossível de se realizar e foi realizado. Já estou correndo atrás dos próximos sonhos “impossíveis”.

E vocês queridos leitores, já conhecem algum escritor ou escritora? Como foi a sua 1 vez conhecendo ele ou ela?  Deixem nos comentários.

Até amanhã,

bjs e abraços, 

Ana.

Estudante de concurso, formada em ecologia e que sempre vive no mundo dos livros

2 Comments

  1. Aí que gracinha de post! É muito a minha cara fazer isso. Passar o dia inteiro pensando em como vai ser o momento, e na hora H, só olhar para ela, é repetir um conjunto de palavras sem sentido nenhum hahaha

Deixe uma resposta